quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

BINAURAL


por Edu Zambetti

As "drogas virtuais" do tipo I- Doser ou similares, motivos de piada para alguns e de admiração para outros, na verdade não passam de um formato comercial para os resultados de experiências com Percepção Binaural (podem ser utilizados isocrônicos* e monaurais também, mas a origem está no binaural). Provavelmente, tais experiências quase perderam seu real valor por conta destes produtos.
De qualquer forma, caso alguém queira experimentar estas “drogas virtuais”, basta baixar ou comprar a sua “dose” preferida, que nada mais é do que um arquivo de áudio especialmente estudado para gerar tal efeito (será?).

É possível encontrar muitas doses grátis na internet para download e a simulação dura o período do áudio, geralmente algo entre 5 e 30 minutos. A instrução é a de se usar com um bom fone de ouvido e ficar de olhos fechados num ambiente com pouca luz.
A parte séria da história começou com uma variedade de experiências sensoriais descritas por Heinrich Wilhelm no ano de 1839.
De maneira simples, a idéia era, através da utilização de dois sons de baixa freqüência próximos, conseguir um terceiro som que seria produzido no cérebro do individuo.
Hoje as experiências mostram que, quando dois sons deste tipo, com freqüências semelhantes, são apresentados para o indivíduo, um em cada ouvido, o cérebro produz, através de seus impulsos elétricos, este terceiro em resposta aos dois outros.
O resultado se traduz numa “Percepção Binaural” e as pulsações do cérebro que são resultados desta percepção são conhecidas como “Binaural Beat”.
Com freqüências superiores a 1khz ou 1,5khz e com diferenças superiores a 30hz este efeito não acontece e, neste caso, o individuo apenas identifica dois sons isolados e não há a “ Percepção Binaural”.
Porém, com as já citadas baixas freqüências, os resultados podem ser bem interessantes, embora sofram tantos elogios quanto criticas. Num exemplo, se um som de 315 Hz é direcionado para o ouvido direito, e outro de 325 Hz para o ouvido esquerdo, o cérebro sintoniza-se com o som binaural resultante de 10 Hz, induzindo o indivíduo a experimentar os efeitos desta freqüência específica.


Freqüências e Efeitos:
0.5 - 1.5 Hz – Liberação de endorfina. Relaxa e dá prazer.
0.9 Hz – Sensação eufórica.
2.5 Hz – Produção de opiáceos endógenos (anestésicos e ansiolíticos).
4.0 Hz – Liberação de encefalina. Narcótico com efeitos similares aos da morfina e heroína.
10 Hz – Liberação de serotonina (neurotransmissor que regula a liberação de hormônios), que é estimulante e melhora o humor.
14 Hz – Estado alerta. Concentração.
20.215 Hz – Efeito similar ao do LSD.
30 Hz – Efeito da maconha.

*A técnica dos tons isocrônicos é menos conhecida porém mais atual. Alguns defendem que é mais efetiva, outros dizem que não causam efeito algum.O audio deste tipo baseia-se num único tom espaçado ou interrompido seguindo um rítmo preciso.Esta técnica, diferentemente do binaural, não exige o uso de fones de ouvido embora seja bom usá-los.No caso,o cérebro acaba processando o estímulo isocrônico similarmente ao binaural. Os admiradores dizem que a freqüência das ondas cerebrais produzidas pelo método isocrônico é mais alta do que pelo método binaural, mas será que não é na sutilidade que está o grande barato? O negócio é testar todos não é mesmo?

Para experimentar:

Doses Muito Fortes
Doses Variadas
I-Doser Free
Try Drugs(inusitado)

Obs. Havia desistido de fazer esta postagem, mas quando o Grão falou do Bucleta eu não pude resistir.
Dizem que a única banda de rock brasileira que usou estes efeitos binaurais em suas músicas foi o "Epoxydurê e as Hippies de Shangri-lá".

6 comentários:

  1. Cara, que bizarro: nos últimos dois dias tenho conversado com uma amiga que está experimentando esse Idoser. Coincidência... Ou não?

    abrá.

    belo post!

    almost lisérgico.

    ResponderExcluir
  2. Poxydurê é a banda!
    Tenho dito.
    E vejam só, não pode misturar bucleta com i-doser...
    overdose na certa.

    ResponderExcluir
  3. Já pensei nisto Grão..qual será o barato?

    Viegas...que tal uma entrevista com sua amiga para ilustrar mais o assunto?

    ResponderExcluir
  4. brotha, eu já tinha ouvido falar mas não tinha sacoe, digamos, motivação pra experimentar o barato. Com seu post, ontem na madruga, fui lá e baixeis uns!
    Já fui logo pegando pesado nas doses fortes e baixei o anesthesia e o heroin.
    Escutando o anesthesia, por alguns breves momentos eu tive sensações anestésicas, mas não sei dizer se foi uma experiência binaural, ou só efeito placebo, afinal eu escutei a parada sugestionado a sentir efeitos anestésicos.
    Vou tentar o heroin hoje já que desse eu não sei bem o que esperar aí depois eu dou meu testemunho aqui!
    Tem um filme dos anos 90 que se chama "estranhos prazeres" e fala dessas experiências com drogas virtuais, mas era bem diferente a parada, mas enfim, vale assistir que é bem legal!

    ResponderExcluir
  5. Loucura total
    Se o "hippie" quiser um baseado não precisa mais pedir dinheiro... é só pedir um mp3 e uns fones stereo...
    viagem Zen

    ResponderExcluir

Andarilhos do Underground: ZINAI-VOS!!!