sábado, 9 de outubro de 2010

TWO TURN TABLES AND ONE PUNK ROCKER - DANCE!

Punkinho, dj mattiello
Anderson "Punkinho" Mattiello, uma vida dedicada a cultura underground. Figura fundamental na história da cena punk/metal do ABC Paulista. Como guitarrista desde o final da década de 80, passou por bandas como Ação Direta, Grinders, ästerdon, além de ter fundado o Slaughter, uma das mais importantes bandas de thrash metal do ABC.

Esse é o curriculum do DJ Mattiello! É isso mesmo! Dee Jay!

dj mattierlloPunkinho começou esse namoro com as pick ups em 2007, em algumas festas nas quais o ästerdon "banda" virava ästerdon DJ Set. A paixão cresceu, a música ficou mais dançante, leia-se eletrônica e, ainda em 2007, o (agora) DJ Mattiello se juntou ao DJ Allan Lito no duo Disco Robot Dj's. Mattiello aproveitou a boa recepção do Disco Robot pelo público e começou a produzir as primeiras faixas com beats ao invés de acordes de suas velhas amigas "guitarras".

Curioso e pesquisador de música incurável, DJ Mattiello se interessou por outras vertentes da música eletrônica, principalmente house e decidiu seguir por essa trilha, agora sozinho.

Primoroso na qualidade de suas composições, sejam roqueiras como dançantes, é claro que ele logo conquistou seu espaço dentro da cena e segue desbravando fronteiras!

Ontem foi disponibilizada a faixa Dance na rede e eu achei que era uma boa hora para trocar uma ideia com o "homi".

Com vocês, mais uma...

ENTREVISTA DE UMA PERGUNTA SÓ!


Zinismo:
Seu background musical é algo bem diferente do som que você produz como DJ, já que você veio do punk/metal. Como a música eletrônica entrou nesse caldo? E para você, pelo fato de você fazer tudo no bom e velho esquema Do It Yourself, punk rock e dance music acabam se tornando a mesma coisa em termos de atitude, ou você acha que a diferença entre os ritmos prevalece e a expressão artística fica em segundo plano?

DJ Mattiello:
A música eletrônica, embora tenha demorado um pouco para aparecer em minhas produções como músico/produtor, sempre esteve presente em minha vida. Desde cedo me interesso por Emerson, Lake & Palmer, Yes, Brian Eno e principalmente Kraftwerk. Achava extremamente interessante a proposta de um som totalmente sintético, e pirava nas melodias que eles criavam com computadores e dispositivos eletrônicos. Eu nunca tinha me interessado pelo deejayin', até que um dia fui apresentado às cdj's, fui muito bem assessorado pelo Sr. Ideia, que me deu várias dicas e me mostrou que mixar músicas é tão excitante quanto fazê-las. Daí em diante, a produção tornou-se um caminho natural, pois chega um momento que você quer algo mais específico, que começa a ficar cada vez mais difícil de encontrar.
Quanto à atitude, encaro as duas vertentes de uma maneira bastante distinta, não misturando as coisas, até para ficar mais fácil para compor, pois na minha visão, se você começa a colocar tudo no mesmo balaio corre-se um sério risco de misturar as estações e começar a perder o foco. E como cada estilo é bastante distinto, não há problema nenhum em manter as duas carreiras paralelas e distintas. O que mudou muito foi a minha visão como músico. A música eletrônica me deixou com o ouvido mais apurado, a métrica mais precisa e melhorou muito a minha visão geral de como se montar e produzir uma música.
Artisticamente falando, não poderia ter acontecido algo melhor em minha vida!

É isso!
Obrigado pela força e pelos elogios!!!


Agora é baixar a faixa Dance, e claro, as outras que estão disponíveis no SoundCloud do DJ Mattiello, ligar a vitrolinha e chamar a galera, que a festa está garantida!

Ah! E aproveita para alugar o Pulp Fiction e sacar o sampler da faixa Dance!


Mais em:
myspace.com/djmattiello
myspace.com/asterdon
myspace.com/discorobotdjs

10 comentários:

  1. DIY funcionando em capacidade máxima!

    ResponderExcluir
  2. Fez o mais difícil, abandonar a tal zona de conforto!

    ResponderExcluir
  3. Sou fã desse cara! (3) ...Á vá....
    Disse tudo Grão! Aliás, conhecendo o Punkinho, oops, o DJ Mattielo como eu conheço, apesar do pouco tempo, mas pelo fato de ele ter sido, ao menos da minha parte, meu melhor parceiro de composições (vide Music, Sweet Music e Castration! Double Castration! do ästerdon), posso garantir que com essa inquietação e essa gama de estilos musicais e opções de produção sonoras, conforto para ele é o CAOS!

    Álias Grão, um representante da sua personaliade Artísta/Zineiro. Mídias diferentes, mas a mesma inquietação para se envolver em todos os lados, conceitos e vertentes das coisas! Enfim, os mesmo traços...

    Resumindo, com Fernando Pessoa: "Tudo vale a pena quando a alma não é pequena". E por aqui, isso é mato! Cheio de arrogância mesmo, porque modéstia sobre isso seria hipocrísia! pra bo ente mei pa ba
    aos que não sacarem a piada interna, desligue o computador e vá ler um livro!

    Eu tô ácido hoje! Nem eu to me suportanto, é raiva de ver o melhor show da minha vida e jornalista adolescente chamar de cansativo enquanto transforma o show caça-níquel cheio de problemas técnicos em acontecimento do ano!
    Seria mesmo... do ano de 1994!

    A humanidade me deprime! Alguém tem cianeto aí?...

    ResponderExcluir
  4. E no tópico SWU, já que citei-o para justificar o sarcasmo do meu coment anterior, se prepara Marcelo que segunda tem Yo La Tengo, QOTSA, um caça níquel de segunda,leia-se Pixies - já te disse porque - e fechando Linquin Parquinho.
    Resultado, Yo La Tengo vazio e maneiro de ver, show só para fãs mesmo, e se tudo rolar, estaremos lá, colado no palco, igual o MSTRKRFT ontem. Depois o Queens tb dá pra ver bem de perto, exatamente como o Mars Volta Ontem, até porque nós já sacamos todos os esquemas, Ir embora durante o Linquinho Parquinho é besteira, mas a gente foge pro Tiesto, que por pior que seja, com a adtivo correto é infinitamente melhor que a banda do filho da Cher, mas se depois se prepara para um monte de "formadores de opiniões medíocres, parciais, e sem embasamento musical que não seja o fator comercial", arrotar para que quizer ouvir que o "Queria ser uma banda de metal, mas gosto de rap e pra fudê meu dj se acha raver sendo que nosso som soa nada, exatamente como N'Sync" fechou o festival com chave de ouro, com o melhor show, e bla, bla bla...
    Te espero ácido na terça! Dai a gente racha o cianeto! hehehehe!
    E esse papo de a humanidade me deprime me lembrou Itapuã 2001 - Só pra te fuder agora! hauhuahauhuahua

    Piada interna RULEIA!

    ResponderExcluir
  5. Muito obrigado pelos comments :)
    E um post desse só poderia ter vindo de vc Ideia :)Muito obrigado!
    Principalmente pq, no meio de todas as pessoas que me conhecem (dentre eles amigos, brothers, colegas, parceiros e conhecidos) você é o único que tem a manha de enxergar e entender até onde minha mente vai, até onde eu imagino que a música como expressão artística pode ir e me (nos) levar, os efeitos que uma junção de algumas notas do jeito certo na hora certa fazem com a cabeça das pessoas.
    Música é muito mais que uma banda no palco, um dj atrás das picapes, um monte de gente dançando, curtindo ou comentando.
    Pra mim, música é a maior das artes, e eu sou um amante inveterado dela!

    Is we

    ResponderExcluir
  6. Lil'Punk...

    Is we mano!

    TAMO JUNTO SEMPRE!

    Just keep the fucking good work!

    ResponderExcluir
  7. Pois é, Ideia, tô num mood Relationship of Command que tá foda...

    ResponderExcluir

Andarilhos do Underground: ZINAI-VOS!!!